Teresópolis entra na pauta dos debates do encontro do Cosud em Porto Alegre, No Rio Grande do Sul.

Coordenador executivo do evento, Alex Castellar vai defender o direito dos municípios de receber royalties das concessionárias que exploram seus territórios.


A capital do Rio Grande do Sul está recebendo, até este sábado (02), a 10ª edição do encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). O evento reúne governadores e equipes técnicas da administração pública dos sete estados que compõem o grupo, com objetivo de debater políticas públicas para melhorias nas unidades federativas e no âmbito nacional. Entre os temas mais específicos a serem debatidos, o coordenador executivo do Cosud, Alex Castellar, propôs a discussão sobre os direitos dos municípios receberem royalties das concessionárias que exploram seus territórios, por exemplo, dos pedágios cobrados nas rodovias, como acontece com Teresópolis.

Alex Castellar, de Teresópolis; Eduardo Leite, Governador do Rio Grande do Sul; Gabriel Souza, vice-governador do RS; e Romeu Zema, Governador de Minas Gerais

“A Rio-Teresópolis tem o terceiro pedágio mais caro do país, perdendo apenas para dois pedágios em São Paulo. Ao mesmo tempo, temos mais de 800 km de estradas vicinais no nosso interior precisando de asfalto e infraestrutura e mais de 500 caminhões que escoam nossa produção agrícola subindo e descendo todos os dias para o Rio. Nada mais justo que esses trabalhadores que mais contribuem com essa tarifa diariamente vejam esses recursos retornarem para investimentos em infraestrutura viária, dando mais conforto, segurança e reduzindo os custos do deslocamento”, aponta.Criado em março de 2019, em Belo Horizonte (MG), o Consórcio de Integração Sul e Sudeste tem o objetivo de fortalecer a cooperação entre os governos dos sete estados (Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) e impulsionar ações econômicas e ambientais para o Brasil. Com mais de 114 milhões de habitantes, esses estados respondem por 70% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, conforme levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao fim de cada encontro, os governadores assinam uma carta na qual reforçam os compromissos assumidos ao longo do evento. O documento desta edição será lido durante a solenidade de encerramento. “Há exatamente um ano, recebi do Governador Cláudio Castro e do Secretário Chefe de Gabinete, Rodrigo Abel, a missão de ser o coordenador executivo do Cosud, que teve seu primeiro encontro exatamente no Rio de Janeiro. Coube ao nosso estado dar o pontapé para tirar do papel este que é o maior e mais importante consórcio do país, com sete estados membros que concentram 70% do PIB Nacional. Foi neste encontro do Rio de Janeiro que ficou decidido, por exemplo, que o estado seria a capital do encontro G20 em 2024, reunindo aqui as 20 maiores potências econômicas do mundo, e só por isso já vemos como o Cosud nasce grande e estratégico e com potencial para mostrar para o Brasil e para o mundo todas as nossas potencialidades”, comenta Castellar.